Dia das Mulheres

março 5, 2018

Como qualquer luta pela conquista de direitos, o espaço das mulheres na sociedade vem crescendo aos poucos e ao longo de muito tempo. Vários eventos do final do século 19 e começo do século 20 influenciaram na escolha deste dia para representar essa busca de igualdade. Manifestações femininas, oriundas de movimentos operários, eclodiram pela Europa e Estados Unidos, protestando contra as condições sub-humanas de trabalho nas fábricas após a Revolução Industrial.

O primeiro Dia Nacional da Mulher foi comemorado nos EUA, em maio de 1908, quando cerca de 1500 mulheres se juntaram a uma manifestação pela igualdade econômica e política do país. Em 1911, em Nova York, cerca de 130 mulheres morreram carbonizadas num incêndio numa fábrica têxtil, aumentando ainda mais a indignação e a força dos movimentos. Na Rússia, em 8 de março de 1917, noventa mil mulheres protestaram contra o Czar Nicolau II, a fome , más condições de trabalho e a participação russa na Primeira Guerra. O protesto foi brutalmente reprimido.

Apenas em 1945 a Organização das Nações Unidas (ONU) assinou o primeiro acordo que estipulava a igualdade entre homens e mulheres, mas isso não bastou para que a desigualdade acabasse. Durante as décadas de 60 e 70 os movimentos feministas passaram a ganhar mais força, e em 1975 a ONU comemorou o Ano Internacional da Mulher e finalmente em 1977 o 8 de março foi escolhido como Dia das Mulheres, relembrando e homenageando as milhares de mulheres russas que sofreram repressão ao  lutarem por dignidade e melhores condições não apenas para si, mas para todo o seu país.

Estes são apenas alguns dos momentos que marcam a história  da luta pela igualdade das mulheres. Tudo começou no século retrasado e ainda estamos longe do que queremos. O 8 de março deve ser mais do que uma data em um calendário, mas um momento de reflexão e de respeito, lembrarmos de tudo o que já aconteceu e, principalmente, entender que ainda há muito o que conquistar.